CONFIDÊNCIAS (de Um Homem Vulgar)
  • 01A Minha Estradaletra
  • 02Santo Domingoletra
  • 03Fazes-me Faltaletra
  • 04Tudo o que Procuroletra
  • 05Respeito (featuring Filipa Cardoso)letra
  • 06A Nossa Histórialetra
  • 07Depois de Nósletra
  • 08Guardiãoletra
  • 09Delicadoletra
  • 10Passos Gigantes (dedicado ao Salvador)letra
Tenho saudades tuas,
Faz tempo que eu não te vejo,
Andei louco nas ruas, perdidas e sujas, com sede de beijos

O meu futuro é incerto,
Mas cedo há-de chegar,
Estou de corpo presente, mesmo à minha frente alguém me manda parar

A minha estrada, nunca foi de me enganar
Levou-me a sítios distantes, difíceis de imaginar

A minha estrada, foi comigo ver o mar
Àquela praia distante onde eu me vou entregar

Sou de brandos costumes,
Não costumo falhar,
Tenho a minha certeza, jogo tudo na mesa, sou de cada lugar

Somos poucos em tantos,
Temos a nossa vez,
Ficamos nos entretantos, recorremos aos Santos, ganhamos a fé

A minha estrada…
Vou contigo até ao fim,
Por ti e por mim,
Não vou mais parar
Dizes que somos dois loucos,
Já faltam cá poucos,
Há que aproveitar

Hoje é domingo, se for preciso, põe o vestido pra te revelares
Olho-me ao espelho enquanto me arranjo e tu existes, vou-me acostumar
Saio sózinho, a porta no trinco, fecho o postigo, podes descansar
Se isto é ciúme como é costume, o que te assiste vou considerar

Vou contigo até ao fim…

Vou contigo até ao fim,
Por ti e por mim,
Não vou mais parar
O tempo é bom conselheiro,
É sempre o primeiro
A ir sem voltar

Há festa no largo, miúdos reguilas unem a família para os ver brincar
Soltam foguetes, ouvem-se estalos, sentem-se abalos, há fumo no ar
Haja quem veja, um dia destes vou pregar à sorte pra outro lugar
Tanta inquietude, um pouco de lume nunca fez mal pra nos incendiar

Vou contigo até ao fim…

Sei bem o que fazes por mim,
Por isso cheguei aqui,
Mas eu vou conseguir chegar mais alto

Ainda temos tanto pra ver,
Vou fazer tudo o que der,
Podemos ser melhores a dar o salto

Vou contigo até ao fim…
Se te fizesse tudo aquilo que me apetece
As vezes que eu pudesse Ias rir-te de mim
Mesmo que desse
Para ser tudo o que parece
Um homem não esmorece e luta até ao fim
Eu não me esqueço És aquilo que conheço
Tenho a vida que mereço
Se te perco fico tenso porque és tudo para mim
O teu olhar é tão intenso Ainda temos algum tempo
Semeio flores no teu jardim

QUANDO TU ME PEDES, EU DOU
ONDE TU ME LEVAS, EU VOU
TUDO O QUE ME FAZES É BOM SÓ
EU SEI QUE FAZES FALTA AQUI

Se tu disseres, quantas vezes me quiseres, És
Deusa feita mulher,
Vou dizer-te sempre que sim
Se me mostrares
Tudo aquilo que escondeste
O que não deste e prometeste,
Vou cuidar de ti

QUANDO TU ME PEDES, EU DOU
ONDE TU ME LEVAS, EU VOU
TUDO O QUE ME FAZES É BOM SÓ
EU SEI QUE FAZES FALTA AQUI

Enquanto pudermos dar
Temos vontade e querer
Mesmo que saibamos estar
Já só nos resta fazer
Podemos ter ideais
Deixar ser e pertencer
A isto tu pedes mais
Eu quero ouvir-te querer...
Eu quero ouvir-te querer...

QUANDO TU ME PEDES, EU DOU
ONDE TU ME LEVAS, EU VOU
TUDO O QUE ME FAZES É BOM SÓ
EU SEI QUE FAZES FALTA AQUI
Sento-me ao teu lado,
Falas-me de ti
Tremo um bocado,
Tenho a alma, pronta a explodir

Gostas que te ouça, sou o que tu vês
Mesmo distraído, trago o mundo colado aos pés

Tu és tudo o que procuro,
Fazes já parte de mim
És um anjo em estado puro,
Sou eu quem espera por ti
Até pode dar em nada,
Isto que estou a pensar
Não me canso desta estrada,
Falta pouco pr’acordar

Tu és tão diferente,
Mas somos iguais
Temos sangue quente,
Dei-te menos, dás-me mais

Fica em minha casa,
Ganho a situação
Vivo em tábua rasa,
És a minha salvação

Tu és tudo o que procuro…
Quantas mulheres perfeitas vês andar por aí,
E tantas outras sem chão me afastaram de ti?
Dono dos meus encantos, que foi que aconteceu?
Achei que merecias muito melhor do que eu

Respeito,
Peço um pouco de respeito,
Também eu tenho o direito
De sorrir e de sonhar
Anseio
Pelos termos verdadeiros,
Fiquei preso aos teus defeitos,
Não os quero abandonar

Quantos fados ao lado, resvalaram em mim,
E outros tantos cantados, do tempo que esqueci?
Tive noites mais frias, tanto te quis dizer,
Encontrei-me a mim próprio,
Mas acabei a perder

Respeito…

Queria eu poder ser tudo para tu gostares de mim,
Somos a mais velha história
De um amor chegado ao fim

Respeito…
Põe os olhos em mim, chega-te mais perto,
Entrego-me a ti se fizeres o que é certo

Esconde-te em mim, protege as minhas costas,
Podes seguir-me do jeito que mais gostas

A nossa história só agora começou
O tempo breve é mais leve que o ar
Onde estiveres, é para lá que eu vou
Tenho pressa e vontade de chegar

Tenta conseguir, dá um passo em frente
Se quiseres sair, fá-lo de repente
Podes proteger, guarda o que eu te dou
Saberás tão bem o fim, isto não acabou!

A nossa história…

Sento-me em frente ao mar,
Rio de tão contente,
És tu a começar,
Sou eu o teu presente

Tudo queres fazer,
Tens que aceitar,
Cansas-te a dizer,
Sorris a falar

A nossa história…
Nunca mais te vi,
Não te procurei
Longe de ti, a meio fiquei

O que soube dar,
A vida guardou
Vou recomeçar, mostrar-te quem sou

Deixa que o tempo nos dê, toda a razão, quero-te bem
Faz com que eu não pense que, fui só mais um

Está na hora, de sair,
Vou embora, quero é viver
Quem eu fui, não vou ser,
Não sei o que amanhã, irá trazer

Só depois voltei,
Então descobri,
Tanto me lembrei,
Quase me esqueci

Valerá ou não,
O que há-de vir
Tenho a solução,
Sou eu a decidir!
Prometo revelar o que já vi,
Juro, vou dizer tudo o que sei
Se me vires sozinho e chamares por mim,
vai saber-me bem

Quero ajudar-te no que puder,
mais tarde fugimos da confusão
Se acaso me perder e se tu quiseres,
Toma a decisão

Sou Homem do Sul, e vou até ao Norte,
Umas vezes fraco, outras vezes forte
Sou Homem do Sul, e vou até ao Norte

Começo a correr antes de fugir,
Vou saltar mais alto no teu lugar
Se sentires que minto agarra-te a mim, deixa-te estar

Podes tu falar-me do que quiseres, usa da palavra,
Chama-me à razão
Quero entender tudo o que disseres,
estou na tua mão

Sou Homem do Sul…
À volta do largo vai o cortejo,
Tu não me vês, sou eu que te vejo
Quero-te assim e ao teu desejo,
Lembro-me de ti, do primeiro beijo

Deseja-me sorte que eu cá vou andando,
Uns tempos mais forte, outros quebrando

Do teu amor só fica o pecado,
Sabe o que é certo mas faz errado
Abre-lhe a porta, deixa-o entrar,
Chegou fora de horas, só quer conversar

Vou pouco a pouco, estou nesta guerra,
Regresso mais louco, sou filho da terra

Mata-me a sede, leva-me à água,
Tira-me a rede mas deixa-me a tábua.

No meio da estrada, mudo o caminho,
A próxima etapa faço contigo

Cidades distantes, não estás sozinho,
Passos gigantes, fazem caminhos
Por onde andas, para onde vais

Todos os dias abres janelas,
Abraças o mundo, acendes velas,
Dizes que as estrelas são imortais

Podes ter um orgulho maior,
Perguntar “o que fazes aqui”,
Tens em ti o melhor e pior…
Quem és tu?

Vais dizer que motivo é o teu,
Faz da vida uma festa maior
Estende os braços e conquista o que é teu
Quem és tu?

Quantas promessas foram esquecidas
Choram rapazes e raparigas,
Dormem na praia, sentimentais
Envergonhados e quase sem jeito
Corpos despidos num estado perfeito
Que dança é esta, e o que isso te traz
/