Biografia

Com uma carreira artística de duas décadas, centenas de concertos, e cerca de 420 mil discos vendidos, João Pedro Pais é hoje um dos artistas mais acarinhados pelo público português

Nasceu e viveu sempre em Lisboa. Na pré-primária já se lhe conhecia o jeito pela música, uma vez que os seus tios avós maternos eram quase todos músicos de guitarra portuguesa, viola, piano e violino. Também o desporto foi uma área a que se dedicou com afinco, durante a juventude, tendo-se tornado campeão por diversas vezes no estilo Greco-Romano. Não sendo a alta competição compatível com a vida de músico, João Pedro fez a sua última participação desportiva em 1995 no Rio de Janeiro, onde consegue o 1º lugar.

Em Novembro de 1997 lança finalmente o seu primeiro álbum de originais. Segredos revela-se um campeão de vendas logo à partida, onde os temas “Ninguém (é de ninguém)” e “Louco (por ti)” se tornam dos mais emblemáticos da sua carreira.

Muitos espectáculos vão sendo agendados, o que o leva a ascender rapidamente no mundo da música em Portugal. Acarinhado por um público muito vasto, de norte a sul e arquipélagos, João Pedro Pais torna-se uma referência ímpar para muitos dos seus fãs.

Outra Vez, o segundo disco, chega-nos em 1999. Mais uma vez consegue surpreender com a sua sonoridade ligada ao Pop/Rock, não descurando de letras genuínas e sentidas. É nomeado, pela segunda vez, para os Globos de Ouro na categoria de Melhor Interprete. O tema “Mentira” é também eleito para a categoria de Melhor Canção.

Dois anos depois, Falar Por Sinais, vem consolidar o trabalho do Artista que o País acompanha desde o seu início. O vídeo do tema “Um Resto de Tudo” é gravado em Barcelona e, mais tarde, “Não Há” é escolhido para banda sonora de uma telenovela portuguesa. Mais uma vez as vendas elevam o disco a Platina.  

Em Fevereiro de 2003 é convidado a fazer a 1ªparte da Tournée Ibérica com Bryan Adams, começando por Espanha (Barcelona, Alicante e Madrid) e depois Lisboa, Porto e Guimarães. Os espectáculos, absolutamente esgotados, levam ao rubro milhares de fãs, tornando-se numa das participações mais gloriosas do seu percurso enquanto compositor e intérprete.

No ano seguinte, 2004, actua na primeira edição do Rock In Rio – Lisboa, ao lado de muitos nomes internacionais. Lança também o seu quarto trabalho de originais Tudo Bem. “Mais Que Uma Vez” e “Tudo Bem” são escolhidos para singles, mas tantos outros são cantados pelas multidões que o vão ver aos espectáculos em que actua.

Em 2004 também, escreve para Ana Moura a letra e música de “Fado de Pessoa”, que integra o 2º álbum de originais da Fadista, “Aconteceu”, os dois cantores interpretam juntos este tema ao vivo num inesquecível espectáculo do Artista no Casino Estoril.

Já em 2006, dá vida ao projecto “Lado a Lado”, juntamente com Mafalda Veiga. O espectáculo dá-se no dia 22 de Setembro, no Centro Cultural Olga Cadaval, com casa cheia. Uma noite memorável que levou à gravação do disco ao vivo, logo em Janeiro de 2007. As vendas ultrapassaram todas as expectativas – mais de 60.000 unidades! Nos meses seguintes dão vários espectáculos pelo país fora, terminando esta tour com a consagração nos Coliseus. Duas datas em Lisboa e uma no Porto não foram suficientes para a grande procura, que fez com que a lotação esgotasse pouco tempo depois da abertura de bilheteiras.

Em Novembro de 2008 chega ao mercado o novo trabalho de originais. A Palma e a Mão, o tão esperado sucessor de Tudo Bem, presenteia-nos com 11 temas originais do Artista, com participações especiais de Artistas conceituados, como é o caso de Pedro Abrunhosa (que compôs a letra da canção com nome que dá título ao disco), Jorge Palma (no tema a si dedicado – “Meu Caro Jorge”) e Zé Pedro, dos Xutos & Pontapés (na canção “Palco de Feras”, também em jeito de homenagem ao grupo).

O tema “Um Volto Já”, o primeiro single do trabalho, foi a grande aposta junto das rádios nacionais que incluíram de imediato a faixa nas suas playlists em alta rotação. Nesse mesmo ano outros dois singles do disco foram extraídos do álbum: "A Palma e a Mão" e "Sempre Hoje". Ambas as canções integraram séries televisivas de sucesso. Previa-se um 2009 em cheio para João Pedro Pais e veio a confirmar-se: uma Tour extensa de norte a sul do país que culminou com dois grandes espectáculos nos Coliseus de Lisboa e Porto.

O grande momento que foi a estreia em nome próprio nos Coliseus de Lisboa e Porto será lembrado como um dos pontos mais altos na carreira de João Pedro Pais. Com ambas as salas lotadas, apresentou uma grande produção num espectáculo cuidado e envolvente, emocionando os fãs que se renderam ao talento e carisma de um dos autores mais aplaudidos pelo público português. Estas duas noites ficaram ainda marcadas pela participação dos convidados especiais Jorge Palma, Zé Pedro (Xutos & Pontapés), Massimo Cavalli e Orquestra Sinfonietta de Lisboa, que se juntaram a João Pedro Pais em momentos surpreendentes e cativantes.

A consagração de João Pedro Pais, enquanto um dos Artistas mais importantes do panorama musical português é reforçada a cada ano que passa, 2010 não foi excepção. Em Maio, subiu pela 2ª vez ao palco principal do festival Rock In Rio Lisboa, num espectáculo electrizante e amplamente aplaudido pela crítica e pelo público como um dos melhores concertos desta edição do Rock In Rio.

Em Outubro de 2010, chegou ao mercado o tão aguardado cd/dvd do concerto no Coliseu dos Recreios, naquele que foi o primeiro DVD na carreira de João Pedro Pais. Uma edição de grande qualidade que rapidamente chegou ao 1º lugar do top nacional de vendas e que se manteve por vários meses no top 5 dos discos mais vendidos em Portugal, tendo de novo atingido a Platina.

Em Dezembro de 2012, João Pedro Pais edita o seu sexto álbum de originais, Desassossego. Produzido por João Martins Sela e misturado por Adam Kasper, nome fundamental da cena internacional, que já trabalhou com Eddie Vedder, Pearl Jam ou Foo Fighters, Desassossego é composto por 10 canções, o tema “Havemos de Lá Chegar” é o escolhido para single e que imediatamente conquista as rádios.

João Pedro Pais, que neste disco explora novos territórios, conta com os seus músicos de estrada, Rui Almeida, Mário Peniche, Fernando Tavares e Sérgio Mendes, e com a participação especial das vozes de Carlos (Pac) Nobre e Mónica Ferraz, e ainda de alguns dos mais requisitados músicos da nossa praça, como Mário Delgado e Alexandre Frazão, entre outros.

Dois temas do álbum “Desassossego” são escolhidos para integrar séries televisivas de sucesso, “Isto do Amor” e “Estás à Espera de Quê”, e durante o ano de 2013 continua a mostrar porque é um dos Artistas mais importantes do panorama Nacional, com uma tourné intensa pelo País, com espectáculos sempre lotados, podem-se destacar por exemplo, Cascais, a Fatacil em Lagoa e o Festival do Marisco em Olhão.

Participa ainda no álbum “Voz e Guitarra 2”, onde interpreta dois temas, “Ciúmes da Lua” extraído do seu primeiro trabalho “Segredos”, e uma interpretação magnífica e muita aplaudida pela crítica, de um tema de Fausto Bordalo Dias, “Lembra-me Um Sonho Lindo”.

O Verão de 2013 termina com outro grande momento da sua carreira, a sua estreia em nome próprio no Grande Auditório do CCB, onde em Outubro esgota duas datas, num espectáculo acústico e intimista, especialmente preparado para esta emblemática sala de Lisboa, que conta com a participação do Quarteto Atlântico de cordas, e que deixa o seu público mais uma vez rendido.

Após os 2 grandes concertos no CCB, e acedendo a inúmeros pedidos do seu público, que reclama um concerto mais a Norte, o Artista volta a 1 de Março de 2014 ao Coliseu do Porto, para um concerto absolutamente memorável e esgotado, onde conta de novo com a participação do Quarteto de cordas, e de um convidado muito especial, Keith Scott, embemático guitarrista de sempre de Bryan Adams, que João Pedro Pais conheceu em 2003, durante a sua participação na tourné Ibérica de Bryan Adams,  gravou também no seu album de 2004 Tudo Bem, e veio de propósito a Portugal para participar no concerto do Coliseu do Porto, emprestando-lhe o seu enorme talento, reconhecido como um dos melhores guitarristas da actualidade, deixando o público absolutamente enfeitiçado.

Ainda em Março de 2014, é convidado para participar no concerto de 10º aniversário da orquestra juvenil de violinos da escola de Música de Lisboa, “Os Violinhos”, no Grande Auditório do CCB, mais uma vez deixa o público absolutamente surpreendido pela enorme versatilidade deste Grande Cantautor.

É também convidado para mais uma vez participar na 6ª edição do festival Rock in Rio Lisboa, onde volta pela 3ª vez ao palco principal no dia 1 de Junho, tendo apresentado uma das suas melhores interpretações de sempre, em 2014 percorre de novo o País, numa tourné de Norte a Sul, poderemos destacar a 1ª Edição do Festival O Sol da Caparica, já em Setembro um emocionante e esgotado concerto, pela 1ª vez em nome próprio no Theatro Circo de Braga, e que passou também por Macau, onde voltou ao fim de 13 anos para esgotar o Grande Auditório do Centro Cultural.

Em Novembro de 2015, João Pedro Pais edita o seu sétimo álbum de originais Identidade, produzido por Luis Jardim, misturado por Alan Winstanley (produtor dos Bush, Elvis Costello, entres outros), gravado no Livingstone Studio em Londres, e misturado no Atlantic Blue Studio em Lisboa (Paço de Arcos), este novo trabalho conta ainda com a participação de grandes músicos da cena internacional e nacional, Keith Scott nas guitarras (Bryan Adams, entre outros), Ian Thomas na bateria (Seal, Sting, Eric Clapton, entre outros), Luis Jardim no baixo, Rui Almeida no hammond e teclas, e o Quarteto de Cordas Atlântico.  
“Passo a Passo” é o 1º single extraído deste álbum, que imediatamente entrou na playlist das rádios nacionais e no TOP.

Em 2016, a tour “Identidade” percorre o País com espectáculos em recintos sempre esgotados, salientando-se o sucesso da sua 1ª apresentação no festival Meo Sudoeste, também o S. João de Braga, e volta a feiras tão mediáticas quanto as de Cascais, Corroios e Grândola.
Em Novembro é convidado a actuar no encerramento de “Matosinhos, Capital da Cultura do Eixo Atlântco”.

O seu concerto acústico e intimista, “Improviso”, continua a esgotar as salas de teatro nacionais, onde mais que uma vez é obrigado a abrir 2ª data.

A 03 de Novembro de 2017, exactamente 20 anos depois do seu 1º álbum de originais “Segredos”, João Pedro Pais edita um álbum comemorativo da data João Pedro Pais 20 Anos, com 18 dos seus melhores singles, também com dois originais, “Faz Tempo” é imediatamente sucesso de rádios e o CD entra directamente para o 4º lugar do Top Nacional, sendo também escolhido para integrar uma novela.

Para celebrar os seus 20 Anos, marca para 04 de Novembro um concerto no CC Olga Cadaval em Sintra, que esgota completamente três semanas antes da data, no Porto marca a Casa da Música, onde nunca actuou antes, para o dia 03 de Março de 2018, que em Novembro de 2017 está já esgotada, abrindo 2ª data, que esgota também antes do final do ano.

Prevê-se assim, no ano do seu aniversário de 20 Anos de carreira, um ano de 2018 recheado de sucessos.

/